Ebook
R$ 27,92
ou R$ 34,90 para não assinantes

Leia no app e no site Ubook

O Crime Do Restaurante Chinês: Carnaval, Futebol E Justiça Na São Paulo Dos Anos 30

por Boris Fausto
 
Ubook Premium é a assinatura que dá acesso ilimitado ao acervo da Ubook.
São mais de 400 mil títulos entre audiobooks, documentários, podcasts, ebooks e revistas, que podem ser acessado pelo nosso site ou aplicativo. Você também ganha desconto na compra de qualquer livro avulso na Ubook Store.
São Paulo, Quarta-Feira de Cinzas de 1938. Ho-Fung e Maria Akiau, donos de um restaurante chinês, aparecem brutalmente assassinados, junto com duas outras vítimas, seus empregados. O suspeito é um jovem negro. Será este um romance policial? Ou trata-se de um livro de história do Brasil?
Em  O crime do restaurante chinês , o historiador Boris Fausto recorre aos arquivos da história e da memória pessoal para narrar e analisar um dos acontecimentos policiais que mais mobilizaram a opinião pública paulistana. Ele era um menino quando, logo depois de um animado carnaval de rua, a cidade não falava de outra coisa: um homem negro era acusado de matar o ex-patrão e mais três pessoas com terríveis golpes de pilão.
O historiador narra o processo das investigações com a maestria de um romancista. O enredo lhe serve de mote para discutir vários temas cruciais para a historiografia do período. Um deles é a relação entre migrantes, imigrantes e trabalhadores marginalizados numa São Paulo cada vez mais populosa. Outro é a aplicação judicial e policial de doutrinas racistas, que então recebiam o endosso de cientistas de prestígio, e ajudaram a incriminar Arias de Oliveira, jovem negro do interior, ex-empregado do restaurante. Fausto comenta também o declínio do carnaval de rua paulistano, e, depois, a comoção futebolística que tomou conta da cidade com a participação da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1938. As fontes dessa reconstrução do passado são basicamente a memória do autor e os vários jornais e órgãos de imprensa que mobilizavam a opinião pública, muitas vezes com sensacionalismo.
A análise de Fausto ajuda o leitor a perceber o "fio da sensibilidade" que ligava o carnaval, os assassinatos hediondos e a Copa do Mundo. Por meio dele, seria possível até que a figura antes temida de Arias terminasse associada à do adorado Leônidas, outro brasileiro negro, goleador da seleção nacional nos campos da França.
Altura
15
Largura
2
Profundidade
11
Autor/Autores
Boris Fausto
ISBN
9788554517120
Editora
Companhia das Letras
Idioma
Português Brasil
Tamanho (MB)
0
Formato
EPUB
To Top